separar

Meu casamento vai mal - O que eu faço?

É sabido hoje que a maioria esmagadora dos casais (cerca de 90%), que tomam a iniciativa de desistir do sonho a dois, rompem  seu casamento ainda com sentimento de amor. Os relatos são de muita tristeza ao se perceber que os projetos iniciados não terão mais continuidade e mesmo ainda havendo amor, a situação parece se tornar insustentável.

Existem casais que se separam e voltam. Mas nessa nova tentativa descobrem que ainda não dispõem de maturidade e nem recursos emocionais para fazer algo diferente do que vinham fazendo e isso acaba por levando a outra separação. Pelo fato de ainda haver amor, o distanciamento entre os dois e a solidão impede que eles reajam adequadamente ou encontrem novas oportunidades e a dor os une novamente até acontecer um próximo rompimento definitivo.

As pessoas vão para o casamento com muitas chagas inconscientes e no “palco” desse relacionamento diário, enxergam coisas que desconheciam possuir. Medo, insegurança, baixa autoestima, insegurança entre tantas, faz a pessoa a supor que o outro irá suprir as deficiências emocionais ou materiais, não alcançadas antes.

Quando as dificuldades aparecem, elas nem imaginam as verdadeiras causas e ficam brigando e discutindo os sintomas, em lugar de olharem para o que realmente está ocasionando a dor.

Esses conteúdos psicoemocionais que chegam na bagagem de vida de cada um, aliam-se também a conteúdos espirituais e culturais que o casamento apenas faz refletir.

Pelos entendimentos das Constelações Sistêmicas, nós levamos ao casamento vários dos ciclos ainda incompletos e iremos vive-los agora com outra pessoa. Sabendo que ela também traz os seus, os conflitos são esperados, porque nenhum modelo sistêmico é melhor do que o outro, apenas são diferentes conforme a cultura da família de origem.

Destacando que como todos esses conteúdos são inconscientes, os casais, na maioria das vezes, nem ao certo sabem porque estão discutindo ou brigando. Simplesmente um acionou o botão da dor do outro e esse só reagiu na defesa. Uns se recolhem para a “caverna” e podem ficar semanas lá dentro, até que a coragem volte para tirá-lo de lá. Outros eventos podem exercer uma “hipnose” e travar a autoestima da pessoa na menos valia e fazer com que ela não consiga mais se encontrar no relacionamento como idealizou antes.

Quando o casal tenta resolver tudo isso sozinhos, provavelmente um irá se sobressair em relação ao outro em temas diferentes. Conforme habilidades desenvolvidas um tem melhor argumentação enquanto o outro silencia. E quando isso acontece, pode propiciar agressões como último mecanismo de defesa dos ataques sofridos.

Mediante cenários assim, fica bastante recomendado encontrar apoio especializado onde as informações “atrás da cortina” possam ser encaradas com coragem e trabalhadas para o crescimento dos dois e leva-los a um novo degrau do relacionamento a dois.

Sem a devida coragem para olhar na direção certa, os sentimentos podem ser dirigidos para a desconfiança de um e de outro por imaginarem não estarem sendo bons o suficiente remetendo o outro a buscar a compreensão extraconjugal.

Acomodarem-se pode ser a pior das soluções, pois nesse caso o tempo pode ser longo para curar tudo isso sozinho. Vai depender do empenho pessoal para um apoiar o outro em enfrentar suas próprias dores.

Uma das principais funções do casamento é o verdadeiro amor que permeia os dois e quando surgem as limitações de cada um, ambos acolhem, olham com coragem para aquilo e de forma madura decidem o que desejam fazer como casal. A separação em muitos casos culmina por ser a última solução, contudo se o amor é real, várias soluções podem elevar os dois a um outro patamar. Estamos aqui apenas para evoluir e cobrar do outro a perfeição enquanto ainda está também se edificando não fica coerente na balança. Eu só posso exigir do outro aquilo que eu também ofereço. O casamento são dois pilares. Um ao lado do outro e sobre eles juntos, edefica-se o lar. Não é só sobre um ou, sobre o outro.

Se o seu casamento está dando sinais de que algo não vai bem, aja o quanto antes para que ainda tenha tempo de impedir que se torne insustentável. Estamos formando um grupo de Mentoria para acompanhar mulheres que desejem ter um olhar mais verdadeiro e profundo sobre questões que despertem esse amor incondicional por si mesma. Entre para o grupo. 

Clique no whatsapp que entraremos em contato de volta. 

Compartilhe nas suas redes sociais.

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *